UOL Carros
 

19/08/2010

Autopost

AirCross pousa no Rio para 'bombar' a Citroën

A Citroën sempre manteve uma postura mais discreta -- profil bas, diriam seus executivos -- em relação às suas expectativas no mercado nacional. Não vendia carros para frotas e jamais conspurcou sua gama no Brasil com algum motorzinho de 1 litro. Sua participação no mercado automotivo verde-amarelo em julho último bateu em 2,42%, na rabeira do top 10 das montadoras -- é a última colocada entre as newcomers dos anos 1990. "Ah, mas somos uma marca premium, não focamos em volume", é o que dirá qualquer citroënico que eu consulte sobre o tema. Très bien.

Mas isso foi apenas até a Citroën anunciar que a chegada do AirCross, sua resposta aventureira ao Volkswagen CrossFox e à toda a gama Adventure da Fiat (e até ao Ford EcoSport e ao futuro Renault Duster), deverá servir para elevar sua participação no mercado brasileiro em cerca de 1 ponto percentual, como anotou aqui o site Interpress Motor.

Divulgação

Citroën AirCross: o lançamento oficial é no dia 25

A conta é simples: a fatia da Citroën engordaria para a vizinhança dos 3,5%. Parece pouco, mas seria suficiente para colocá-la em sétimo lugar no ranking da Fenabrave, considerando as vendas de automóveis e comerciais leves. Deixaria para trás Hyundai, Toyota e a irmã Peugeot. Para tanto, o AirCross teria de emplacar 2.500 unidades mensais -- mais que o C4 hatch e o Pallas juntos. Menos que o C3, no entanto.

Mas, afinal, o que é o AirCross? É, basicamente, um C3 Picasso -- modelo europeu lançado no Salão de Paris de 2008 -- com as devidas alterações para ficar mais parrudo. É também, pelo que já foi antecipado em algumas fotos de divulgação, uma tentativa de impor um padrão mais elevado de acabamento no sub-segmento de aventureiros compactos. Certo, o kit de apetrechos inúteis xerocado dos Fiat Adventure -- bússola e dois inclinômetros -- é um detalhe besta, mas só o volante com base achatada e empunhadura metálica já redimiria o que promete ser um dos interiores mais bem-cuidados da gama Citroën no Brasil.

O motor é o tradicional 1.6 flexível da PSA, capaz de entregar 110 cavalos com gasolina e 113 cv com etanol no tanque. No quesito dimensões, destacam-se a altura de 1,70 metro e especialmente o comprimento, de 4,2 metros. Comparado com o CrossFox, são 7 centímetros a mais na vertical e 14 cm a mais na horizontal.

O resto (inclusive preços) você só vai saber quando acessar UOL Carros na próxima semana, entre os dias 25 e 26. O lançamento oficial do AirCross está marcado para o Rio de Janeiro, e lá estaremos para trazer todas as informações sobre o modelo -- e elogiar o que é bom e detonar o que não presta. Aguardem!

Escrito por Claudio de Souza às 20h00


comunicar erro COMUNICAR ERRO